“Sou apenas um jovem em crise, um pequeno licenciador, com fantasias e vontades, expurgar-me de todos os erros, e perdoe-me pelos meus pensamentos. E aquela memória, malditos memoriatus, nas quais em dias frios costumava noturnar por ai, recitando poesias, esses meus queridos inverbos, mas quando me ponho a pensar logo me vem o sentimento, a vontade, o querer. E com você construo minha felicidade a dois, no meio de nossos sonhos, dentro dos meus perfeitos orquidários.”